domingo, 6 de janeiro de 2019

Homem que matou jovem nas dnas de Itapuã diz que estava sob efeito de drogas

O homem suspeito de matar e enterrar o corpo da jovem Dara dos Santos Cavalcanti, de 23 anos, nas dunas do bairro de Itapuã, em Salvador, disse à polícia, em depoimento, que estava sob o efeito de drogas e que não tinha intenção de assassinar a vítima. Ele está em prisão temporária. A Polícia Civil informou, na sexta-feira (4), que Fernando Gabriel Souza dos Santos, de 25 anos, vai responder por feminicídio. Na tarde de quinta-feira (3), ele se apresentou no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) com um advogado e confessou o crime.

Dara dos Santos Cavalcanti foi encontrada morta na noite do dia 31 de dezembro, em um trecho das dunas de Itapuã, que fica na localidade conhecida como Nova Brasília de Itapuã, perto da Avenida Dorival Caymmi. Fernando contou, em depoimento à polícia, que abraçou Dara quando a encontrou, e os dois seguiram andando até as proximidades das dunas. Em seguida, houve uma luta corporal e o suspeito teria apertado o pescoço da vítima até deixá-la desacordada.
A polícia não informou, no entanto, se Fernando detalhou o que levou à luta corporal. Além do feminicídio, ele já responde a dois processos por crimes contra o patrimônio. Fernando ficou preso por três anos e estava em liberdade há um ano. Uma perícia foi realizada no corpo da vítima para saber se ela sofreu violência sexual, mas o laudo ainda não foi divulgado.

4 comentários:

  1. então essa desculpa cola??? vou sair matando tb, pois cara de vagabundo, marginal e agora dá desculpa, coloca ele dentro da cela com os outros presos.

    ResponderExcluir
  2. Volto a dizer vai ter outro juiz propineiro, que vai libera-lo logo logo, ou qualquer juiz vai me dizer que um elemento desse com tantas autuacoes tinha que estar solto?, se antes o que ele roubou ou matou, fosse uma autoridade, estava que nem um tal de chimbinha em s. Paulo que estah preso desde os 16 anos e hoje jah estah com mais de 20 e continua preso, entao para com essa historia que a lei manda soltar

    ResponderExcluir
  3. ou tadinho dele!! então pega um parente da vítima da uma maconha pra fumar e mata ele também!! mesma desculpa.

    ResponderExcluir
  4. efeito de drogas? 30 anos pelo assassinato e mais 30 anos por uso de drogas. sem progressão de pena ou saidinhas. e no dia que for liberado passa fogo no próprio passeio d a penitenciária. isso aí é um lixo.

    ResponderExcluir