quarta-feira, 9 de janeiro de 2019

PGR pede ao Supremo para manter Geddel preso e sugere pena de 80 anos


A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, pediu nesta quarta-feira (9) ao Supremo Tribunal Federal (STF) para manter o ex-ministro Geddel Vieira Lima (MDB) preso. A PGR também sugeriu que ele seja condenado a 80 anos de reclusão. Raquel Dodge apresentou os pedidos ao entregar as alegações finais no processo relacionado aos R$ 51 milhões encontrados em malas de dinheiro em um apartamento em Salvador (BA) em 2017.

Agora, a defesa dos réus também deve apresentar as alegações finais. Depois disso, a ação estará pronta para julgamento pela Segunda Turma do STF, o que pode ocorrer ainda no primeiro semestre. Segundo a Procuradoria Geral da República (PGR), os R$ 51 milhões têm como possíveis origens: propinas da construtora Odebrecht; repasses do operador financeiro Lúcio Funaro; e desvios de políticos do MDB.

Além de Geddel, são réus no caso o deputado Lúcio Vieira Lima (MDB-BA), irmão do ex-ministro, e Marluce Vieira Lima, mãe dos dois. Eles foram acusados pelo Ministério Público Federal de terem cometido os crimes de lavagem de dinheiro e associação criminosa. A defesa de Geddel Vieira Lima pediu ao Supremo que determine a soltura do ex-ministro sob o argumento de que já houve o fim da instrução processual (fase em que são coletadas provas e ouvidas testemunhas). O pedido ainda não foi analisado. Ministro da Secretaria de Governo de maio a novembro de 2016, no governo Michel Temer, Geddel está preso desde 2017 no presídio da Papuda, em Brasília.

Segundo Raquel Dodge, há risco de fuga e cometimento de novos crimes, pois Geddel "já deu mostras suficientes do que, em liberdade, é capaz de fazer para colocar em risco a ordem pública e vulnerar a aplicação da lei penal". A PGR diz, por exemplo, que Geddel tentou impedir a delação do operador financeiro Lúcio Funaro, manteve ocultos os R$ 51 milhões, manteve secretários parlamentares trabalhando como empregados domésticos, além de ter mandado destruir provas contidas em anotações, agendas, documentos e outros.

8 comentários:

  1. E ainda devolver o resto dos milhões roubados ,como é que ele e o cara que tem mais fazendas na Bahia?com dinheiro roubado

    ResponderExcluir
  2. Tem que mofar na acdeia mesmo,por isso que o Brasil ta nessa o pobre trabalhador,trabalha tanto e passa perto e dinheiro guardado e os hospitais estão precario.A cadeia é lugar de ladrão.

    ResponderExcluir
  3. a justica tem que manter esses politicos safados na cadeia. presos.para poder punir o pobre e negros.

    ResponderExcluir
  4. Esse sempre foi ladrão . Tinha que pegar 100 anos!

    ResponderExcluir
  5. DEIXAR PRESO ? OXE, TEM CURRÍCULO PRA SER MINISTRO DO BOLSONARO DE SOBRA, TEM AS MESMAS CARACTERÍSTICAS DE TODOS QUE FORAM NOMEADOS ALÉM DO PRÓPRIO PATRÃO. OU MINISTRO DO STF TAMBÉM TÁ DE BOM TAMANHO. MESMO ELE SENDO BESTINHA, JUNTO COM ESSA TURMA ELE APRENDE MAIS A DESENVOLVER SUA CONTA NA SUIÇA, PROFESSORES AGORA TEM MUITO NO CONGRESSO.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas ele foi ministro da quadrilha do PT, não tem memória, ou vergonha, o interessante é que não teve manifestação na porta da cadeia pedindo Geddel livre como os militontos da quadrilha fizeram com o sapo cururu.

      Excluir
  6. Isso foi cria de CABEÇA BRANCA. SENHOR FEUDAL DA BAHIA.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas quem colocou ele no poder e ajudou a acobertar o esquema foi 9 dedos o sapo cururu de Curitiba.

      Excluir