sexta-feira, 4 de janeiro de 2019

Suspeito de matar professora travesti tem prisão decretada e está foragido


O homem suspeito de matar a travesti e professora municipal Sabrina Santos Vidal, na cidade de Taperoá, no baixo sul da Bahia, teve a prisão preventiva decretada pela Justiça. Ele é procurado pela polícia nesta sexta-feira (4). De acordo com a delegada Ana Maria Mendes, responsável pelo caso, o mandado contra Vitor da Silva Santos, de 21 anos, foi expedido na noite de quinta (3). O crime aconteceu no dia 31 de dezembro de 2018, dentro da casa da vítima. Sabrina foi morta a facadas. A delegada detalhou que Vitor é um jovem violento. A polícia já tinha afirmado que o crime seria passional, mas Ana Maria Mendes disse que, além disso, a vítima teria sido assassinada por causa de dinheiro.

"Ele já tem esse histórico de abusar de pessoas e se aproveitar para conseguir vantagens financeiras. Já temos relatos dessa prática. A nossa linha de investigação é de que ele queria parte do 13ª [salário] da vítima e, com a negativa, matou ela. Agora a gente apura se tem outra pessoa envolvida nesse caso", explicou. A delegada informou ainda que não é a primeira vez que Vitor atenta contra a vida de uma pessoa LGBT. Antes de matar Sabrina, ele teve um relacionamento com uma outra pessoa, que também foi agredida após ser coagida a dar dinheiro a ele. Essa pessoa não chegou a registrar a ocorrência. 

Equipes da Polícia Civil chegaram a procurar o suspeito nesta manhã, após informações de que ele estava na casa da mãe. No entanto, ao chegar no local, ele não foi encontrado. Vizinhos disseram que Vitor fugiu em uma moto sem placas, com duas mochilas, seguindo em direção à cidade de Valença. O sepultamento de Sabrina foi no dia 1º de janeiro, em Taperoá. Por conta do crime, a prefeitura da cidade cancelou as festividades de fim de ano da cidade, como atrações musicais e queima de fogos.

3 comentários:

  1. Concerta isso aí redator do verdinho : Não é "UMA PROFESSORA TRAVESTi" e sim : "UM PROFESSOR TRAVESTÌ". Não existe no mundo ninguém que consiga transformar um DNA masculino em feminino. Portanto, usar esse vocabulário é ser desleal com a língua portuguesa.

    ResponderExcluir
  2. MUITO TAXATIVA ESTE ENUNCIADO. POR QUE NAO PROFESSORA APENAS, E SIM PROFESSORA "TRAVESTI", ATUALIZEM-SE.

    ResponderExcluir
  3. Todos Vitor é brabo.

    ResponderExcluir